Caso Clínico 2

Atualizado em: 21/09/2011 - 18:01
Identificação: E.E.S Idade: 4 anos
Sexo: Masculino Cidade: Vitória / Espírito Santo

5/2/2003 (pico da epidemia de dengue na cidade) deu entrada no Hospital de Emergência,
apresentando petéquias em tronco, face, membros inferiores e choque.
História da Doença Atual – Segundo informação da mãe,os sintomas iniciaram no dia
4/2/2003 com febre, cefaléia, mialgia e “manchas avermelhadas” em orofaringe, com
agravamento do quadro clínico horas antes de ir ao hospital.
Exames Complementares – Na emergência foi coletado material para hemograma e se
obteve o seguinte resultado: Leucócitos: 4.400/mm3, Ht: 36 %, Plaquetas: 51.000/mm3.

Questões
1. Cite pelo menos cinco hipóteses diagnósticas para o caso.
2. Destaque os elementos no quadro clínico e laboratorial que sustentam as suas duas
principais hipóteses diagnósticas.

Respostas
Resposta 1
a) Dengue
b) Doença Meningocócica
a) Choque séptico (Staphylococus sp., Streptococcus, Haemophilus sp.)
d) Riquetsioses
e) Diagnósticos diferenciais regionais
Resposta 2
a) Dengue: febre alta, cefaléia, mialgia, artralgia.
b) Meningococcemia: no primeiro dia da evolução apresentou choque
(velocidade de evolução), petéquias.
c) Sépsis: febre, equimoses e evolução para choque.
d) Riquetsiose: febre, mialgia e cefaléia (dependendo da situação epidemiológica do
local).
Hipóteses diagnósticas – O médico fez hipótese diagnóstica de dengue grave, baseado
no hemograma e quadro clínico.
Evolução e conduta – Foi coletado material para confirmação laboratorial para dengue.
Após duas horas de internação evoluiu com PCR, feito manobras, não obtendo êxito.
Choque e óbito. O médico da emergência imediatamente ligou para a vigilância
epidemiológica para notificar o caso de óbito por FHD, baseado na plaquetopenia e situação
epidemiológica local. A epidemiologia discutiu outra hipótese diagnóstica e solicitou uma
punção liquórica pós-morte para ser encaminhada para o Laboratório de Referência do
Estado.
Os fatos – Os resultados laboratorias foram: Bacteriscopia –Diplococos Gram Negativo,
Cultura de 24Hs – Neisseria meningitidis B. Resultado obtido pela técnica do PCR –
Neisseria meningitidis B sorotipo B47OP11915.
Questões
1. Comente a evolução dos parâmetros laboratoriais. São compatíveis com suas hipóteses
diagnósticas iniciais?

Respostas
Resposta 1
A evolução dos parâmetros laboratoriais foi compatível com a hipótese de meningococcemia